Decoração minimalista ressalta características de apartamento

Não se tratava de revitalizar o espaço ou fazer grandes mudanças estruturais. A reforma feita neste apartamento térreo de 150 m² localizado em Pinheiros, na zona oeste de São Paulo, tinha como principal objetivo ressaltar a arquitetura do imóvel. “O único nó a ser desatado estava na área de serviço e na cozinha, espaços que antes da obra eram como um labirinto, muito segmentados, o que atrapalhava bastante a entrada de luz e a circulação de ar”, diz Ricardo Lopes Gusmão, do Goaa Arquitetura, escritório responsável pelo projeto.

patio

A derrubada de paredes resultou em uma cozinha maior e muito mais clara do que a original. O antigo quarto de serviço foi abolido e a área de serviço passou a dividir espaço com a cozinha – agora os ambientes são separados por um móvel construído com concreto e madeira pinus. “Essa peça organiza tudo o que acontece por ali: copa, cozinha e lavanderia. E ainda abriga eletrodomésticos e outros acessórios. Para que ela e o resto da marcenaria se destacassem, instalamos granilite branco no piso, criando uma moldura neutra”, conta Gusmão.

Outra intervenção que veio com a obra aconteceu na área íntima. Um dos três quartos foi reduzido, virou uma pequena biblioteca, e cedeu área para a sala e a expansão da suíte. “O restante do trabalho foi criar um novo projeto luminotécnico e instalar outros revestimentos, tudo com o objetivo de ressaltar as potencialidades que antes estavam escondidas”, comenta o arquiteto. Resultado desse trabalho de valorização da arquitetura está nos pilares e vigas, que foram descascados, revelando as estruturas robustas de concreto.

Localizado no coração do apartamento e sem cobertura, um pequeno pátio fechado com vidro distribui luz e permite boa entrada de ar para todos os cômodos. A atmosfera iluminada e tranquila do lugar levou os arquitetos a acomodarem a mesa de trabalho da moradora ali, de frente para sua coleção de plantas. Quando cai a noite, entra em cena a iluminação planejada com cuidado pelo escritório. “Como temos poucas paredes e poucos móveis, a iluminação faz o papel de delimitar as funções dos ambientes. A luz aparece em intensidades e aparatos distintos no estar, jantar e escritório”, explica.

Pouco preocupados em ocupar o espaço com muitos móveis, os arquitetos trabalharam com muitas das peças que a proprietária já tinha, como os sofás da área de estar e a mesa de jantar cercada por dois modelos diferentes de cadeiras de madeira. Mesmo sem fazer uma reforma grande, as intervenções feitas conseguiram mudar significadamente o imóvel, algo que o arquiteto acredita ser resultado da proposta de um uso mais minimalista do espaço. “Percebo uma preocupação das pessoas com a ocupação da casa, com os móveis e outros elementos estruturais construídos. Mas acreditamos que é mais interessante deixar a essência que está na arquitetura aparecer e, para isso, precisamos ter vazios.”

Fonte: emais.estadao.com.br

Tags

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *